Marc Fazer login
PEC 32/2020

Entidades afiliadas ao Fonacate debatem estratégias de atuação no Congresso Nacional


Trabalho remoto no Parlamento impõe desafios extras à articulação contra a reforma administrativa
  16/09/2020
  Atualizado em 21/09/2020



Em assembleia realizada nesta terça-feira, 15 de setembro, as entidades afiliadas ao Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) debateram estratégias de atuação parlamentar contra a Proposta de Emenda à Constituição 32/2020, da reforma administrativa. Os dirigentes também avaliaram a reunião com os representantes do Ministério da Economia promovida na segunda, 14. 

Coube ao presidente do Fonacate, Rudinei Marques, apresentar o relato do encontro. Para ele, ficou claro que, no entendimento do governo, a apresentação da proposta, que tem uma série de deficiências, cumpriu com o objetivo de “colocar a bola no jogo” e passá-la ao Congresso Nacional. 

“Essa reforma vai precarizar as relações de trabalho e uberizar o funcionalismo. Imaginem o que vai acontecer nos estados e municípios na contratação de médicos e professores, por exemplo. Mudou a gestão, muda tudo. Não haverá continuidade de políticas públicas”, afirmou Marques.

TRABALHO PARLAMENTAR

A assessoria parlamentar do Fórum apresentou uma breve análise de conjuntura para pontuar os obstáculos ao trabalho no atual momento, em que o Congresso funciona de maneira remota. Dados como o prazo médio de aprovação das últimas PEC, que tem sido de 30 dias, e a dificuldade para colher assinaturas de deputados e senadores para apresentação de emendas, apontam um cenário desafiador. Soma-se a isto, ainda, a proximidade do recesso legislativo e do fim do mandato da atual mesa diretora na Câmara e no Senado.

Diante da avaliação, ficou decidido que o Fonacate deverá elencar itens prioritários que estarão no foco das emendas a serem elaboradas pela Comissão Parlamentar do Fonacate. Na lista de preocupações, pontuada pelos representantes, estão o fim da estabilidade para todos os servidores públicos; os superpoderes do presidente da República para extinção de órgãos e cargos; a exigência de dois anos em vínculo de experiência, para cargos típicos de Estado e a extinção do Regime Jurídico Único (RJU).

Como encaminhamento, foi deliberada a análise prévia, pela Comissão Parlamentar, de pontos que podem ser objeto de emendas modificativas, visto que, neste cenário, é improvável a aprovação de propostas supressivas. As entidades voltam se reunir na sexta-feira, 18. Ficou decido também que o Fonacate vai emitir uma nota técnica para rebater estudo apresentado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), nesta segunda, 14, que apontou uma economia de até R$ 816 bilhões em dez anos com a reforma administrativa associada a medidas de disciplina fiscal, como a ampliação do congelamento salarial, já previsto até dezembro de 2021, nos termos da Lei Complementar 173/2020.  

 





    

© ANPPREV 2020 - Associação Nacional dos Procuradores e Advogados Públicos Federais

Endereço:  SAUS 06 Bloco K - Ed. Belvedere - Grupo IV, Brasília/DF, CEP 700.70-915
Telefones: 61 3322-0170 | 0800 648 1038

Fazer login | Seja um(a) Associado(a)


Nova ANPPREV - A prioridade é você!
Inatto